sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Fw: Projeto monitora qualidade da água do Litoral Norte



Boa tarde, 

segue release para divulgação, juntamente a algumas fotos anexas, cuja descrição e crédito estão ao final do texto. Quaisquer dúvida, meus contatos: fone horário comercial: 3628-1415 e whatsapp é 9-9395.0333.

Obrigada.

Atenciosamente.   


Tem início monitoramento da qualidade da água da

 Bacia do Tramandaí

 

Projeto Taramandahy – Fase III faz a coleta e a análise da água em 14 pontos

 

No mês de fevereiro iniciou-se as primeiras coletas da água da Bacia do rio Tramandaí, para fins de monitoramento da sua qualidade. São 14 pontos definidos pelo Projeto Taramandahy – Fase III, em parceria com o Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos (Ceclimar) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e com o Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí (CGBHT).

A ação visa à caracterização da qualidade ambiental da Bacia, através da análise e interpretação do estado da água e do mapeamento dos pontos críticos de impacto ambiental sobre as lagoas costeiras, identificando locais de lançamento de esgoto, usos turísticos, irrigação, pesca, entre outros usos da água. O Projeto Taramandahy – Fase III é realizado pela Anama e patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal.

Nos próximos dois anos, serão realizadas coletas a cada quatro meses em 14 pontos, os quais foram determinados junto ao Comitê (CGBHT), devido à sua importância em colaborar com o diagnóstico da fase C do Plano de Bacia. Os pontos estão localizados na sub-bacia Norte: nos rios Três Forquilhas e Maquiné (cabeceiras e foz) e nas lagoas da Itapeva, dos Quadros, do Caconde e do Passo. No estuário serão coletadas amostras na Laguna Tramandaí e na sub-bacia Sul: nas lagoas do Gentil, da Fortaleza, da Rondinha, da Porteira e do Bacopari.

O monitoramento deve ainda complementar o mapeamento realizado na Fase II do Projeto, que classificou os usos da terra e cobertura vegetal através de geoprocessamento e imagem de satélite. As análises deste período (2014-2015) mostraram que em três nichos – água, sedimentos e pescado - a Bacia tem concentração de metais pesados. E nos rios Três Forquilhas e Maquiné foi detectada a presença de coliformes totais (Escherichia coli) em níveis muito acima do que as portarias limitam para o abastecimento, lazer ou pesca. Segundo a química Cacinele Rocha, na época responsável técnica do Ceclimar pelo monitoramento; "o alto índice de coliformes totais está vinculado ao esgoto doméstico, aos criadouros de animais em beiras do rio e na incidência de restos de animais mortos dentro dos mesmos. E os níveis de Nitrogênio (N) e Fósforo (P) são muito altos devido ao uso de fertilizantes nas lavouras de hortaliças, bem como a queima de áreas de plantio na região da Serra". Veja a matéria aqui (http://www.onganama.org.br/ atualizacoes/2015/03. marco2015/Monitoramento-feito- pelo-Projeto-Taramandahy- FaseII-revela-niveis-de- nitrogenio.html). Estes resultados também estão no livro, "Qualidade das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí" (2016) publicação do Projeto Tarmandahy – Fase II, disponível em PDF no site da Anama (http://www.onganama.org.br/ pesquisas/Livros/Livro_ Qualidade-das-Aguas-Rio- Tramandai.pdf).



Fotografias:


1) Imagem aéra do centro de Tramandaí, com a Laguna Tramandaí ao fundo. De Dilton de Castro.

2) Imagem de técnico fazendo amostragem de clorofila da água. De Cacinele Rocha.

Ambas fotos ilustram o Livro Qualidade das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí (Porto Alegre, Via Sapiens - 2016) publicado pelo Projeto Taramandahy - Fase II.

 


--
Anaiara Letícia Ventura da Silva
Jornalista - MTB/RS 15155
Especialista em Educação Ambiental pela FURG
Assessora de Comunicação do Projeto Taramandahy - Fase III
Contatos:
whats: 99395.0333
telefone: 51 3628-1415

Fw: Fórum Mundial da Água aberto a sugestões

Repassando.


Tiago Lucas Corrêa
Secretário Executivo 
51 85121012

Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí
Av. Marechal Floriano, 920 - sala 210- Osório/RS 
51 36632530


 

 

 

Fórum Mundial da Água aberto a sugestões

Interessados em influir nos temas a serem debatidos no evento, em Brasília, têm até o dia 12 de março para dar sua contribuição.

 

http://simat.mma.gov.br/acomweb/Media/Fotos/AC_2829.jpg

 

Brasília (08/02/2018) – O 8º Fórum Mundial da Água, que será realizado entre 18 e 23 de março, em Brasília, tem como uma das prioridades a participação social na definição dos debates. Para isso, disponibiliza "Sua Voz", uma plataforma online em que as pessoas podem colaborar com sugestões e comentários. As duas primeiras rodadas de consultas já foram concluídas. A terceira e última está aberta até 12 de março. Clique aqui para participar.

O Fórum é o maior evento global sobre o tema água. Busca contribuir para o processo decisório a respeito do assunto em nível mundial, objetivando o uso racional e sustentável desse recurso natural. É promovido a cada três anos pelo Conselho Mundial da Água juntamente com o país e a cidade anfitriã - nesta 8ª edição, Brasil e Brasília, respectivamente. É a primeira vez que o evento ocorre no Hemisfério Sul.

"As contribuições das pessoas de todo o mundo e, em especial, do Brasil, vão se somar às intervenções técnicas e darão, certamente, maior legitimidade ao Fórum", disse o secretário de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Jair Tannus Júnior. O ministério é um dos organizadores e, além de participar de painéis e mesas-redondas, vai lançar produtos relacionados à gestão da água durante o evento.

 

SALAS DE DEBATE

A plataforma "Sua Voz" dividiu as discussões em seis salas de debate: Clima - segurança hídrica e mudanças climáticas; Pessoas - água, saneamento e saúde; Desenvolvimento - água para o desenvolvimento sustentável; Urbano - gestão integrada de água e resíduos urbanos; Ecossistemas - qualidade da água, subsistência de ecossistemas e biodiversidade; e Finanças - financiamento para segurança da água

Cada sala temática possui um grupo de moderadores, sendo pelo menos um brasileiro. Os moderadores fazem questionamentos, ajudam a guiar as discussões e reúnem os resultados que irão contribuir na agenda de assuntos a serem discutidos no Fórum.

De acordo com os organizadores, nessa terceira rodada, o foco dos debates nas salas temáticas está relacionado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os debates giram em torno dos desafios e oportunidades para o desenvolvimento sustentável da água.

Os resultados vão ser divulgados durante Fórum em uma sessão chamada "Contribuições da plataforma Sua Voz: identificação dos desafios e oportunidades para a implementação dos ODS para promover a gestão da água". Nessa sessão, será apresentado um resumo das contribuições das pessoas. Moderadores, organizadores e participantes poderão ser convidados para compartilhar experiências.

A primeira rodada, realizada entre 13 de fevereiro e 23 de abril de 2017, teve mais de 20 mil acessos, com destaque para visitantes do Brasil, dos Estados Unidos, da França, do México e da Índia. Nas salas de discussão, houve cerca de 550 sugestões de questões para discussão no Fórum. A segunda rodada abordou questões específicas sobre capacitação, compartilhamento, governança e sustentabilidade e foi encerrada em agosto.

 

EXPO, FEIRA E VILA CIDADÃ

A oitava edição do Fórum Mundial da Água tem a expectativa de receber em Brasília 10 mil congressistas e 45 mil visitantes. É o único evento que promove o encontro de interesses institucionais, políticos, técnicos, acadêmico e de âmbito comercial e da sociedade civil em âmbito global a respeito do tema.

Além da programação oficial, que ocorrerá no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, no Eixo Monumental, centro de Brasília, a edição do Fórum no Brasil inova com o funcionamento de espaços alternativos: a Expo, a Feira e a Vila Cidadã, todos na área externa do Estádio Nacional Mané Garrincha.

A Expo, com acesso exclusivo aos inscritos, será dedicada a países e empresas que desejam vender produtos e fazer negócios. A Feira, aberta ao público, permitirá o contato de empresas e países com a comunidade. Já a Vila Cidadã, também franqueada ao público, será o espaço no qual as pessoas poderão participar de atividades educativas, culturais, interativas, sensoriais e de construção de diálogos voltados para melhorar o uso da água. A Feira e a Vila Cidadã serão abertas em 17 de março, um dia antes da abertura oficial do Fórum.

 

SERVIÇO:

8º Fórum Mundial da Água

Data: 18 a 23 de março

Local: Centro de Convenções Ulisses Guimarães (cerimônia de abertura, eventos oficiais e sessões do fórum) e Área Externa do Estádio Mané Garrincha (Feira e Vila Cidadã)

Inscrições: abertas no portal do evento. Interessados em acompanhar as solenidades oficiais e as sessões do fórum podem se inscrever aqui. Para ter acesso gratuito à Feira e Vila Cidadã, clique aqui.

 

Por: Ascom MMA

 

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

"Caiacada" ecológica em Tramandaí - Projeto Taramandahy - Fase III - Anama

Boa tarde,

Segue informações para participação na I Caiacada do Projeto Taramandahy Fase III. 

Pedimos que seja divulgado aos seus contatos.

Obrigado!

Atenciosamente,

Tiago Lucas Corrêa
Secretário Executivo 
51 85121012

Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí
Av. Marechal Floriano, 920 - sala 210- Osório/RS 
51 36632530


----- Mensagem encaminhada -----
De: Anaiara V <anaiaras@gmail.com>
Enviado: quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 14:02:22 BRST
Assunto: "Caiacada" ecológica em Tramandaí - Projeto Taramandahy - Fase III - Anama

Venha remar na I Caiacada ecológica no estuário Tramandaí  "Águas de Março"

Iniciantes e experientes podem participar desse evento náutico de caráter contemplativo

 

A Ação Nascente Maquiné (ANAMA) está promovendo no dia 03 de março de 2018, a I Caiacada na Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí do Projeto Taramandahy - Fase III. O Evento tem a proposta de aproximar gestores e público em geral aos recursos hídricos, ampliando o engajamento social na gestão da Bacia.

Com o tema "Caiacada das Águas de Março" o evento contemplará o estuário do Rio Tramandaí, única ligação dos 150 km costeiros da Bacia com o mar, em uma região essencialmente turística.  Além do enfoque de gestão das águas, a ideia ainda é demonstrar que o turismo de verão não acaba após o carnaval e que os atrativos naturais da Bacia continuam disponíveis para as práticas de esportes sustentáveis.

O evento é gratuito e aberto para esportistas, aventureiros e público em geral, que poderão apreciar as belezas naturais da região, remando pelas águas calmas da Laguna de Tramandaí, do Armazém e Canal do Arroio Camarão, onde serão recebidos com um lanche e suco de frutas nativas da Mata Atlântica.

Como disse Tom Jobim em sua música Águas de Março "são as águas de março fechando o verão ... é a promessa de vida no teu coração", a "Caiacada das Águas de Março" sensibiliza para a qualidade das águas da Bacia e é promessa de vida, em todos os sentidos, pois sem água, não há vida.

Além da tradicional remada, está previsto o "Bate Papo Ambiental" com o tema "Áreas prioritárias para a Conservação da Biodiversidade" ministrada pelo ecólogo Dilton de Castro, trazendo maior conhecimento sobre a importância dos ecossistemas da bacia.

A caiacada é uma Ação de qualificação do Comitê Tramandaí realizada pelo Projeto Taramandahy - Fase III, patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal.

Para participação basta realizar a inscrição prévia através do e-mail comitetramandai@yahoo.com.br, pelo telefone 51 3663252 ou pelo whats 51 985121012.

Em caso de condições climáticas adversas o evento será transferido para o dia 10/03/2018.

Programação:

I Caiacada na Bacia do Tramandaí – Projeto Taramandahy Fase III

09h00     Recepção dos participantes na Barra do Tramandaí.

09h30     Inicio da Caiacada das "Águas de Março".

11h30     Previsão de chegada e recepção dos participantes com suco e salchipão;

13h00     Bate Papo Ambiental – Áreas prioritárias para conservação.

15h00     Encerramento.


Imagens em anexo:

1 Caiacada 2012

2 Estuário Tramandaí visto do Morro da Borússia


Estas fotos fazem parte do livro "Qualidade das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí" (Dilton de Castro, Cacinele Mariana da Rocha. - Porto Alegre: Via Sapiens, 2016) publicação do Projeto Taramandahy - Fase II.


--
Anaiara Letícia Ventura da Silva
Jornalista - MTB/RS 15155
Especialista em Educação Ambiental pela FURG
Assessora de Comunicação do Projeto Taramandahy - Fase III
Contatos:
whats: 99395.0333
telefone: 51 3628-1415

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Fw: Notícias SEMA/FEPAM/FZB


 
 
 
Assunto: Notícias SEMA/FEPAM/FZB
Para: Sem Destinatário
 
DIÁRIO DE CANOAS CAPA  P. 1 
Balneabilidade na palma da mão
 
DIÁRIO DE CANOAS COMUNIDADE  P. 6 
Descubra as condições de banho pela tela do celular
 
JORNAL AGORA GERAL  P. 5 
Fepam cria aplicativo para informar condições de banho nas praias gaúchas
 
JORNAL NH GERAL  VERÃO  P. 30 
Descubra as condições de banho pela tela do celular
 
CORREIO DE GRAVATAÍ BOM DIA  P. 2 
APP para saber se a praia tá limpa
 
CORREIO DE GRAVATAÍ BOM DIA  P. 2 
Também dá para acessar pelo computador
 
JORNAL VS GERAL  P. 30 
Descubra as condições de banho pela tela do celular
 
CORREIO DE GRAVATAÍ GERAL  P. 6 
Praias mais acessíveis
 
DIÁRIO DE CACHOEIRINHA GERAL  P. 6 
Praias mais acessíveis
 
JOVEM PAN NEWS GERAL  
Governo do Estado reúne serviços e entretenimento no Litoral
 
JORNAL NORTESUL GERAL  
Acesso de veículos na Praia de Fora volta ao debate em Torres
 
PIONEIRO GERAL  
Daer estuda esquema especial de trânsito no entroncamento da Rota do Sol com a Estrada do Mar
 
RÁDIO PLANALTO GERAL  
Barragem do Capingüi está secando e peixes estão morrendo
 
O SUL GERAL  P. 37 
Debate sobre a instalação da usina termelétrica
 
ZERO HORA
Imagem inline 1
 
--
Assessoria de Comunicação 
SEMA | FEPAM | FZB
(51) 3288.8182 / 8115 / 9476  
(51) 985.371.454
 
   

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Trabalho sobre controle de agrotóxicos no RS em 2016




Bom dia!
 
Acredito que seja de interesse dos Comitês das Bacias Hidrográficas do RS ter acesso ao meu Trabalho de Conclusão de Residência intitulado
"Avaliação dos Controles de Agrotóxicos na Água para Consumo  Humano dos Sistemas de Abastecimento de Água do RS em 2016"
porque nele avaliei cada uma das 25 BHs do Estado em relação às análises de controle de agrotóxicos em 2016.
 
Segue link com matéria no site da SES sobre o meu TCR, orientado pelo Eng. Químico Especialista em Saúde da SES, Luciano Zini:
http://www.saude.rs.gov.br/trabalho-da-esp-e-cevs-analisa-residuos-de-agrotoxicos-em-agua-para-consumo-humano
 
No final da matéria há link para acessar meu trabalho, que também está disponível no site do VIGIAGUA/CEVS (http://www.cevs.rs.gov.br/vigiagua).
 
Agradeço se puderem divulgar estas informações para os membros do seu Comitê de BH.
 
 
Atenciosamente,
 
Juliane Pastorello Rubbo
Eng. Química
Residente ESP - VIGIAGUA/CEVS
 

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Publicações do DOE do dia 21/12/2017


Para conhecimento!
Att.,
Secretaria Executiva do Conselho de Recursos Hídricos - CRH/RS
Av. Borges de Medeiros, 261 - 12º andar - sala 1201
Centro Histórico - Cond. Edificio União
90020-021 - Porto Alegre-RS
Tel 51  3288-8142 

Notícias SEMA/FEPAM/FZB


 
GAÚCHA FM 93,7 MHZ  GAÚCHA HOJE 
Mais um capítulo na polêmica sobre abate de animais no Pampa Safari
 
CAMINHOS DA ZONA SUL
AGRO: RS ATINGE 92% DE ÁREA CADASTRADA COMO REGULARIDADE AMBIENTAL
 
JP LITORAL
Banheiros químicos são instalados em Imbé
 
PREFEITURA DE IMBÉ GERAL  
Banheiros químicos são instalados em Imbé
 
QWERTY
Atividades esportivas no balneário Passo Real serão realizadas no próximo sábado
 
DIÁRIO GAÚCHO A VIDA DA GENTE  P. 8 
Verão será de estiagem
 
JORNAL DO COMÉRCIO
Protesto marca um ano da aprovação de extinções de fundações gaúchas
 
O GLOBO
PGR quer que Padilha preste esclarecimentos sobre possível crime ambiental
 
JOTA
Dodge quer depoimento de Padilha em inquérito de crime eleitoral
 
--
Assessoria de Comunicação 
SEMA | FEPAM | FZB
(51) 3288.8182 / 8115 / 9476  
(51) 985.371.454